Planta emersa x imersa

Olá amigos aquaristas!

Hoje vamos entender a diferença do cultivo de plantas emerso e imerso, visto que é uma dúvida que acomete a maioria dos iniciantes em aquapaisagismo, e até mesmo os não tão iniciantes assim.

A maioria das espécies que estão disponíveis para venda em nossa loja virtual são enviadas na forma emersa, isto é, cultivadas fora d'água. Isso quer dizer que você poderá receber uma planta em um formato, cor e até mesmo tamanho MUITO diferente do que é visto na foto exibida para ela no site. A foto que é visualizada no produto, é sua forma imersa, dentro d'água, e para que ela aparente como na fotografia, depende única e exclusivamente do cliente cultivá-la em ambiente adequado, no seu aquário plantado.

Essa foi a forma que as plantas aquáticas ao longo dos anos, senão séculos, encontraram para sobreviver, visto que quando elas estão naturalmente em rios, o volume de água oscila constantemente devido aos períodos de seca e de cheia. Um bom exemplo desse fenômeno é a região do Pantanal, que em certas épocas do ano fica totalmente encoberto pelas águas, mas no período de seca deixa grande parte da vegetação em contato com o ar atmosférico.

Outro ponto, é que o cultivo emerso é feito por estaquia, isto é, corte e replantio. Significa que a planta não precisa chegar ao cliente com raízes para crescer, e que enraizará no aquário, crescendo em algumas semanas, para poda posterior, e replantio no próprio aquário, desde que o cliente possua um ambiente propício no mesmo para que tais fenômenos aconteçam.

Mas nem todas as espécies podem ser cultivadas dessa forma emersa. Plantas do gênero Egeria, Najas, Aponogeton, Vallisneria, Musgo, Ceratophyllum demersum entre outras, não suportam períodos fora da água, desidratando e morrendo rapidamente.

Vamos ver abaixo alguns exemplos desse fenômeno:

Exemplo 1: Rotala Rotundifolia

Claramente na primeira foto, temos a espécie no cultivo, com folhagens verdes, arredondadas e com tamanho muito diferente do que é costumeiramente encontrada em aquários. A maioria, senão todas as Rotalas quando emersas, são assim. Na segunda foto, temos ela se adaptando no aquário após algumas semanas. E por fim, já na terceira imagem, temos ela totalmente adaptada, e com cor, formato e tamanho diferente. Para mais informações sobre a Rotala Rotundifolia, clique aqui.

 

Exemplo 2: Alternanthera Reineckii Splendida

As duas imagens a seguir foram tiradas de aquário de um de nossos clientes, e mostra a planta crescendo. É possível ver claramente ela se transformando e mudando de cor e formato. Saiba mais sobre esta espécie clicando aqui.

Exemplo 3: Aquário com plantas emergindo

Neste as plantas estão emergindo sozinhas, e podemos ver claramente a diferença de adaptação tanto dentro quanto fora d'água. Fica evidente que as plantas vermelhas, ou ainda as verdes com folhas finas, ao saírem da água, estão crescendo com outro tipo de folhagem e caule grosso, se adaptando ao ambiente emerso. Ou seja, totalmente diferente, parecendo outra planta, mas não é.

Exemplo 4: Outro aquário com plantas emergindo

Este é um aquário criado pela GreenAqua, onde temos plantas emergindo também, as plantas dentro d'água possuem formato bem diferente da MESMA planta que está fora d'água. Vê-se que o caule da planta é o mesmo.


Esses foram apenas alguns exemplos de como essa mudança acontece com as plantas. Porém o processo ocorre com a maioria delas, quer sejam Ludwigias, Rotalas, Myriophillum, Limnophilas, Alternantheras, Hygrophilas, Nymphaeas e até mesmo alguns carpetes, como as Marsileas ou Echinodorus, que quando fora d'água crescem absurdamente, até 20x mais, necessitando de poda quando postas no aquário, para que fiquem em tamanho baixo ao crescerem de forma imersa.

Outro problema muito comum, é que os iniciantes costumam comprar tudo de uma vez: o substrato fértil já junto com as plantas, quando não troncos, rochas, substratos e as plantas tudo no mesmo envio, só pra aproveitar frete, quando na verdade deveriam as plantas serem adquiridas separadamente. No geral, sempre haverá problemas sérios em seguida, pois o aquário ainda nem se adaptou pra receber o substrato, o PH da água não deu tempo de estabilizar com os itens decorativos (troncos e rochas), e o equilíbrio biológico ainda nem aconteceu aí, mas já está colocando as plantas por pressa, ou por tentar economizar no frete. O barato sairá caro, pois o ideal é um período de adaptação de duas a seis semanas para o aquário se equilibrar, então virem as plantas. Mais umas duas semanas, e então por último, os peixes, que para aquários plantados os utilizados são os de cardumes, como Neons, Rodóstomus, entre outros.

Por isso, antes de comprar, verifique se seu aquário está pronto, e se está adaptado o suficiente, para que suas plantas tenham como se desenvolver. Aquário plantado é a réplica de um verdadeiro milagre da natureza, porém para fazê-lo acontecer, só depende de você.

Abraço,

Equipe Aquários Plantados